quarta-feira, 15 de março de 2017

Livro: Vida, jogo e morte de Lul Mazrek

Título: Vida, jogo e morte de Lul Mazrek
Título original: Eta, loja dhe vdekja e Lul Mazrekut
Autor: Ismail Kadaré
Tradutor: Bernardo Joffily
Editora: Companhia das Letras

Na Albânia comunista, o governo se preocupa com as deserções rumo aos países vizinhos devido à ditadura e reforça a segurança nas fronteiras. Devido a isso, Lul Mazrek, um aspirante a ator, é convocado para o serviço militar e enviado a Saranda, um balneário que faz fronteira com a Grécia, para ajudar a evitar as fugas pelo mar. Lá, ele conhece Violtsa Morina, uma jovem a serviço do Estado, responsável por seduzir homens e identificar possíveis traidores. E, claro, ele se apaixona e ela também, mas esse é um relacionamento complicado que tem tudo para dar errado.

Gosto muito do Ismail Kadaré desde que li Abril despedaçado e a partir de então li vários livros dele, mas nenhum chegou no nível do primeiro. Ainda estou em busca de um livro que me impacte da mesma forma.

Vida, jogo e morte de Lul Mazrek mostra a realidade do país durante o regime comunista, mas sem ficar sério demais, quebrando a tensão com algum humor e o relacionamento amoroso dos personagens. É um livro agradável de ler, porém gostei menos do que esperava. Não foi uma leitura muito marcante (como quase todas as minhas últimas leituras) e, assim, não tenho muito o que falar sobre ela, infelizmente.

Lido para o desafio Livrada! (categoria: livro resenhado pelo Livrada! A resenha do Yuri está aqui) e para meu desafio Volta ao mundo em 80 livros, representando a Albânia.

sábado, 4 de março de 2017

Randomicidades do mês: fevereiro / 2017

Fevereiro foi um mês meio caótico no início por motivos de trabalho e meio caótico no final por motivos de fiquei ainda mais viciada em patinação no gelo, hahahaha. Por isso, sinto que tive um pouco de dificuldade em mergulhar nas leituras como gostaria e não assisti muita coisa.

Livros lidos


É assim que você a perde - Junot Díaz
Tenho esse livro há um bom tempo e só agora li, o que não faz muito sentido considerando que adoro o outro livro do autor, A fantástica vida breve de Oscar Wao. O livro reúne contos sobre o personagem Yunior e seus relacionamentos amorosos fadados ao fracasso. É uma leitura interessante, embora eu tenha me interessado mais com a vivência de imigrante dos personagens do que com os relacionamentos em si, mas infelizmente não tem a força de Oscar Wao.
Nota: 3,5


O escorregador de gelo - Lemony Snicket
Continuando com a releitura da série dos irmãos Baudelaire. Esse volume apresenta várias revelações sobre CSC, o que é sempre bom, e introduz novos personagens, mas o que realmente importa é o reaparecimento de Carmelita Spats, minha personagem insuportável preferida!
Nota: 3,5


Hyperbole and a Half - Allie Brosh
O livro reúne algumas das histórias do site homônimo, famoso pelas narrativas hilárias com ilustrações igualmente hilárias. Eu já tinha lido algumas das histórias no site faz tempo, mas acho que a maioria das do livro foram inéditas para mim. Não gostei tanto quanto esperava das histórias selecionadas, inclusive achei duas ou três bem chatinhas, mas as sobre os cachorros da autora e a do ganso violento são ótimas!
Nota: 3


A garota que você deixou para trás - Jojo Moyes
O romance mistura a história de uma mulher em uma cidadezinha durante a ocupação alemã da França durante a Primeira Guerra com uma história no presente sobre uma viúva e um retrato em disputa. Confesso que achei a parte do passado bem mais interessante do que a do presente, que apresenta personagens sem graça e uma história previsível.
Nota: 3


A última névoa / A amortalhada - María Luisa Bombal
Duas novelas dessa escritora chilena de quem nunca tinha ouvido falar. Na primeira, uma mulher se casa com um homem que não a ama e tenta achar algo que dê sentido à sua vida. Na segunda, uma mulher morta observa as pessoas em seu velório e mergulha em reminiscências. O estilo da autora é bastante poético.
Nota: 3


História do novo sobrenome - Elena Ferrante
Segundo volume da série Napolitana. Muita gente gosta mais desse do que de A amiga genial, mas eu preferi o primeiro, talvez porque tenha mais interesse na infância e na adolescência do que na vida adulta, talvez porque esse volume me pareceu menos variado em questão de conflitos e porque as duas protagonistas passam boa parte do tempo separadas, sendo que gosto mais quando as duas interagem.
Nota: 4

Quadrinhos


Fim de verão - Mohiro Kitoh
Coletânea de histórias curtas publicadas entre 1987 e 2001. O traço é bem feinho em várias das histórias, com personagens testudos e com pernas compriiiidas, mas gostei bastante da maioria dos contos. Eles são bastante variados e reflexivos.
Nota: 3,75

Séries / animes


Desventuras em série
Não sei se foi porque reli os livros recentemente, mas achei alguns episódios da série meio arrastados. Tirando isso, gostei bastante, achei o visual muito bom, gostei de como eles incorporaram o narrador e adorei que eles anteciparam os mistérios da CSC, que no livro só começam a aparecer lá pelo quinto volume e aqui estão presentes desde o começo.
Nota: 3,75


Terrace House - Aloha State (1ª parte)
Dessa vez a temporada se passa no Havaí e, por enquanto, apenas oito episódios foram liberados pela Netflix. Não aconteceu muita coisa, mas já posso dizer que gosto da Lauren e acho dois dos caras bem dispensáveis.
Não vou dar nota porque não tem muito o que avaliar aqui.


Bernard-jou Iwaku
Anime curtinho sobre um grupo de amigos que gosta de ler. Entre conversas sobre literatura e indicações de livros, eles falam de coisas como livros x filmes, como fazer parecer que você leu um livro que não leu, frases de abertura, manias de leitura, etc. Achei que ficaria boiando porque a maioria dos livros citados seria japonês, mas fiquei boiando porque a maioria dos livros era de ficção científica, haha. É divertidinho, mas os personagens falam rápido demais e a protagonista é um tanto irritante.
Nota: 3

Comecei a ver: NieA Under 7, Shouwa Genroku Rakugo Shinjuu: Sukeroku Futatabi-hen 

Filmes


Chameko no Ichinichi
Curta de 1931 sobre o cotidiano de uma menina. Assisti porque ele apareceu nas recomendações aleatórias de um site e pensei "nunca vi nenhum anime tão antigo assim, vamos dar uma chance!" (além disso, na imagem do site aparecia uma cena com umas cabeças cortadas e isso me deixou intrigada). Infelizmente, o filme tem muita cantoria em uma vozinha irritante e não é nada além da menina cantando sobre seu dia-a-dia. Acho que só vale a pena dar uma olhada pelo valor histórico mesmo.
Nota: 2,5


Minha vida de abobrinha
Queria fazer como no ano passado e assistir a todas as animações indicadas ao Oscar para comentar aqui no blog, mas não deu. Então vi só as que me chamaram mais a atenção (ainda quero ver Kubo). Esse filme é sobre um menino que perde a mãe de maneira trágica e vai viver em um orfanato com outras crianças de passado triste. É um filme agridoce com vários momentos fofos para acalentar o coração, mas aí você lembra das coisas que aconteceram com as crianças e fica com o coração partido.
Nota: 4,25


A tartaruga vermelha
Filme sem falas sobre um náufrago que vai parar em uma ilha deserta e, após tentar fugir diversas vezes, encontra uma misteriosa tartaruga vermelha. É um filme bem bonito (e eu adorei os sirizinhos).
Nota: 3,5

Aquisições


Comprei os mangás Nijigahara Holograph e O homem que foge que eu queria faz tempo e fiz uma compra compartilhada com a minha irmã do Entre umas e outras. O resto é da minha irmã.

terça-feira, 21 de fevereiro de 2017

Livro: O portal

Título: O portal
Título original: Mon
Autor: Natsume Soseki
Tradutor: Fernando Garcia
Editora: Estação Liberdade

Publicado originalmente em 1910, O portal é o terceiro livro da trilogia informal de Soseki, formada também por E depois e Sanshiro, em que o autor discute as mudanças pelas quais o Japão passou entre os séculos XIX e XX. Nesse romance, ele narra sobre um casal que leva uma vida tranquila e tem um relacionamento aparentemente bem resolvido, mas que devido a um acontecimento no passado, parece apartado do mundo externo. 

O que me chamou a atenção nesse livro é como o autor escreve sobre as miudezas do cotidiano, como domingos preguiçosos, tarefas domésticas, preocupações com dinheiro e visitas ao vizinho mais rico. Os personagens têm uma vida em que quase nada acontece e na maior parte do tempo há pouquíssima tensão, mas mesmo assim eu me vi completamente envolvida pelo cotidiano simples dos personagens e pela personalidade pouco assertiva deles.

Mais para o final do livro há uma mudança: o conflito do protagonista se intensifica, o que o leva a uma viagem para um templo. Talvez por eu ter ficado tão envolvida com o cotidiano simples e a dinâmica entre o casal, talvez por eu não ser uma pessoa muito interessada em coisas espirituais, só sei que achei essa parte bem chata e fiquei bastante decepcionada, porque até então eu estava adorando a leitura. Uma pena.

Lido para o Desafio Livrada! (um livro japonês).

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2017

Randomicidades do mês: janeiro / 2017

Mais da metade de fevereiro se passou e só agora consegui escrever este post. Janeiro foi um mês produtivo no início, com aquela energia e motivação para se dedicar ao entretenimento que só os meses iniciais do ano possibilitam, mas depois tive que trabalhar e perdi o ânimo. Apesar disso, o ritmo de leitura não foi muito alterado e conseguir ler bastante coisa.

Livros lidos


Just Kids - Patti Smith
Vi um monte de gente falando bem desse livros de memórias da Patti Smith sobre seu relacionamento com o artista Robert Maplethorpe e decidi dar uma chance, mesmo não conhecendo nada do trabalho de nenhum do dois. O livro tem trechos interessantes e deve agradar quem tem algum interesse na cena artística da época. Eu sinceramente achei um pouquinho enfadonho.
Nota: 2,75


A garota no trem - Paula Hawkins
Essa foi uma leitura bastante rápida que correspondeu às minhas expectativas. É um thiller envolvente, com uma narradora alcólatra nada confiável e com algumas supresas aqui e ali. No geral, não é um livro incrivelmente marcante, mas é um bom entretenimento.
Nota: 3,75


A cidade sinistra dos corvos; O hospital hostil; O espetáculo carnívoro - Lemony Snicket
Continuo acompanhando as desventuras dos Baudelaire, que se tornam cada vez mais sofridas e misteriosas (e bizarras). É um pouco estranho reler uma série da qual eu não me lembro tão bem assim, porque de vez em quando esqueço de algumas coisas e fico toda empolgada me questionando sobre os mistérios e só então lembro do que aconteceu.
Nota: 4


A amiga genial - Elena Ferrante
Nota: 5


Histórias de horror - Vários autores
Estou com esse livro na estante há um tempão. É uma coletânea distribuída gratuitamente com o intuito de disseminar o gosto pela leitura e, teoricamente, depois de ler devemos passar o livro para a frente. Isso me deixa meio culpada, porque demorei tanto para finalmente ler que agora acho que o projeto já nem existe mais. De qualquer forma, os contos do livro foram retirados daquela coletânea da Companhia das Letras de capa listrada e são de autores clássicos, como Conrad, Poe e Stevenson. Não amei nenhum, mas nenhum desagradou. Curiosamente, o conto que achei mais interessante foi o do Conrad, sobre um barco maligno. Barcos são assustadores.
Nota: 3


Universo desconstruído - Vários autores
Outra coletânea de contos, dessa vez de histórias de ficção científica com viés feminista. A ideia é boa, muitos contos têm premissas interessantes, mas infelizmente pouquíssimos me agradaram (e alguns foram muito chatos). O destaque foi "Projeto Áquila" da Gabriela Ventura, história muito instigante, bem construída e bem escrita.
Nota: 2


O portal - Natsume Soseki
Acho que vou resenhar esse aqui, nem que seja uma micro-resenha, então falarei dele no futuro.
Nota: 4


A escola do bem e do mal - Soman Chainani
Acho difícil falar desse livro sem comparar com Ever After High porque a premissa deles é bem semelhante, com a escola para personagens de contos de fadas, e mesmo as protagonistas lembram um pouco a Raven e a Apple (ou foi meu cérebro que decidiu imaginá-las assim). No entanto, o livro tem muitas ceninhas de ação que achei chatas, os personagens são meio trouxas e eu esperava que ele abalasse os pilares do bem e do mal, mas no final ele meio que se reduziu a uma mensagem conformista. Claro, é o primeiro volume, coisas interessantes podem acontecer no futuro, mas não vou saber se acontecem ou não, pois não me animei com a série o suficiente para continuar lendo.
Nota: 3

Quadrinhos


Mate minha mãe - Jules Feiffer
Amo o Jules Feiffer e a arte dele nesse livro é sensacional. Tem umas páginas que dá vontade de enquadrar na parede. Porém, a história em si não é tão boa quanto eu gostaria e é um tanto confusa, em parte porque muitas das personagens femininas são parecidas entre si e também porque são muitas tramas acontecendo ao mesmo tempo em um livro relativamente curto.
Nota: 3,5

Comecei a ler: Fullmetal Alchemist (Hiromu Arakawa)

Animes / séries


Hibike! Euphonium 2
Segunda temporada desse anime incrivelmente bem produzido sobre personagens que fazem parte da banda escolar. Apesar de a série continuar boa como antes, eu estar mais apegada aos personagens e nessa temporada eles finalmente mostrarem uma apresentação musical bem feita e sem interrupções, que era o que eu esperava de um anime sobre música, de resto eu achei que houve foco demais em draminhas sem muita importância e em personagens secundários. O anime ficou com um ar meio desconjuntado. E o ship já era. :(
Nota: 3,75


Gakuen Handsome
Anime curtinho com a arte mais maravilhosa da história da animação! Sério, esses queixos pontudos são lindos demais! O anime, baseado em um jogo, é sobre um garoto normal que conhece um monte de caras bonitões na escola. É uma paródia de obras yaoi e é bem zoado. Vi muita gente dizendo que não achou engraçado, mas até que eu achei, pelo menos em alguns episódios.
Nota: 3

Comecei: Desventuras em série, Bernard-jou Iwaku

Filmes


O convite
Vi algum blog falando desse filme e fui assistir meio de impulso, coisa rara para mim. É um filme bastante curioso sobre um grupo de amigos que não se via há muito tempo e se reúne para um jantar. Os anfitriões têm algumas atitudes estranhas, mas apenas o protagonista parece se incomodar.
Nota: 3,5


Hibike! Euphonium - O filme
É basicamente um recap da primeira temporada. E um recap preguiçoso, porque não teve quase nada de cenas adicionais. É bom para quem não lembra tão bem do anime e pretende assistir a segunda temporada, como eu, mas não serve para muito além disso.
Nota: 3


Babadook
Não sou de assistir filmes de terror porque tenho medo de ter medo, mas tanta gente falou bem dele que resolvi ver com os meus próprios olhos. Gostei da abordagem mais psicológica do filme, não gostei muito das cenas em que a criatura aparece porque achei meio trash e, no final, não fiquei com medo. Não sei se isso é bom ou não.
Nota: 3,5


Um cadáver para sobreviver
História sobre um cara solitário que encontra um cadáver peidorento multiuso. É um filme estranho, engraçado e triste ao mesmo tempo.
Nota: 3,5


Anima Buenos Aires
O filme reúne quatro curtas de animação argentinos de estilos bem variados. O primeiro é talvez o mais interessante, sobre um açougueiro que enfrenta a concorrência de um novo supermercado. Achei os outros um pouco arrastados, mas talvez seja só porque estou mais acostumada a curtas bem curtos.
Nota: 3

Aquisições

Eu não comprei nada, mas minha irmã comprou dois livros (inclusive mais um dos Moomins *-*) e pegou o mangá em uma troca.


Foi isso. Daqui a não tanto tempo assim já está na hora das randomicidades de fevereiro. :P

domingo, 22 de janeiro de 2017

Livro: A amiga genial

Título: A amiga genial
Título original: L'amica geniale: infanzia, adolescenza
Autora: Elena Ferrante
Tradutor: Maurício Santana Dias
Editora: Biblioteca Azul

Depois de muito protelar a leitura desse livro por um certo receio de não gostar tanto quanto todos gostaram, finalmente li A amiga genial e me rendi à Elena Ferrante.

Acho que todos já sabem mais ou menos sobre o que é o livro, então vamos nos ater ao básico: A amiga genial é o primeiro romance da série napolitana, sobre duas amigas, Lenu e Lila, que vivem em um bairro pobre de Nápoles. Narrado por Lenu, esse volume conta sobre o início da amizade entre as duas, a fascinação que Lila exerce sobre Lenu devido à sua esperteza, a vida cotidiana violenta da vizinhança, os esforços das duas para conseguir progredir na vida em uma época em que as mulheres não tinham muitas opções.

Em questão de enredo, o livro talvez não ofereça nada de incrivelmente inovador que justifique todo o rebuliço que ele provocou, mas há algo na escrita da autora que é viciante e delicioso e dá vida aos personagens e aos ambientes descritos. Achei o livro maravilhoso e digno dos elogios que recebeu por aí. Gostaria de conseguir explicar melhor por que gostei e tal, mas é tão difícil falar de livros que amei e tão mais fácil falar de livros que odiei... De qualquer forma, estou curiosa para continuar a história com o segundo volume da série!

Livro lido para o Desafio Livrada! (livro que você ganhou de um amigo).

quinta-feira, 12 de janeiro de 2017

Desafios e projetos para 2017

Demorei um pouco para decidir os desafios literários de que participarei em 2017, porque ao mesmo tempo que estou meio cansada do formato, não resisto a um bom desafio. No final, escolhi participar do Desafio Livrada! pela segunda vez e fazer uma espécie de TBR Jar e sortear alguns livros da estante para ler durante o ano. Na onda dos sorteios, aproveitei para sortear alguns animes e mangás também. 

Além desses desafios, vou continuar com o Volta ao mundo em 80 livros, que se encaminha para seu quinto ano, e pretendo retomar o Projeto Ghibli, que está parado faz um tempo.

Desafio Livrada!

O Desafio Livrada! consiste em quinze categorias para se ler durante o ano, sem nenhuma ordem específica. A última categoria é um livro escolhido pelo Yuri, criador do desafio.

1. Vencedor do prêmio Jabuti
Acho que o único livro que se encaixa nessa categoria que tenho em casa é o Cinzas do norte do Milton Hatoum, então é ele que escolho.

2. Um livro japonês
Provavelmente lerei O portal do Natsume Soseki, mas se eu mudar de ideia ou ele se encaixar em outra categoria, tenho Botchan, também do Soseki, e Tsugumi (Banana Yoshimoto) me esperando na estante.

3. Um livro que explore o erotismo
Alguém sabe se Confissões de uma máscara do Yukio Mishima se encaixa no tema? No Goodreads quatro pessoas o classificaram como "erotica", mas quatro pessoas não é muita coisa, né.

4. Um roman a clef
Essa categoria me deixou confusa. Vi em uma lista no Goodreads o livro É assim que você a perde do Junot Díaz e, por enquanto, essa é minha escolha, mas não estou pondo muita fé. De segunda opção tenho o Retrato do artista quando jovem do James Joyce.

5. Livro com um protagonista detestável
Pensei em duas opções: Tirza (Arnon Grunberg) ou Oblómov (Ivan Goncharov).

6. Um livro triste
Passando os olhos pelos meus livros, nenhum tem muita cara de "sou triste", então vou deixar essa categoria em aberto, porque com certeza vou encontrar uma leitura triste pela frente em algum momento do ano.

7. Um autor que você conheceu pessoalmente
Aqui considerei autores que eu vi em palestras e não autores que conheço de verdade, porque senão a coisa ficaria limitada demais. Escolhi o Bom dia, camaradas do Ondjaki.

8. Um livro com engajamento político
Ainda estou aqui do Marcelo Rubens Paiva.

9. Um livro que você ganhou de um amigo
Achei que não tinha nenhum, até me dar conta de que A amiga genial (Elena Ferrante) foi um presente da minha irmã. Como ela leu antes de mim, achei que ela tinha comprado para ela (coisas de quem compartilha os livros). Inclusive, essa é a minha leitura do momento. Estou quase acabando (e amando).

10. Um romance psicológico
Mesma coisa da categoria 6.

11. Um livro de antes do Renascimento
Estou a fim de ler algo do teatro grego, mas preciso ver o que tem na biblioteca, então só vou escolher quando chegar lá. Se nada me atrair, vou de O livro do travesseiro da Sei Shonagon.

12. Um livro resenhado pelo Livrada!
Antigamente meu gosto literário combinava muito com o do Yuri, então foi só ver umas resenhas antigas que encontrei o que buscava: Vida, jogo e morte de Lul Mazrek do Ismail Kadaré, autor de quem gosto muito, mas que não leio faz um tempão.

13. Um livro de correspondência
Não consegui pensar em nada muito interessante, então por enquanto vou de As relações perigosas do Choderlos de Laclos. Alguém tem sugestões?

14. Um livro que se passa num lugar que você já foi
Pensei em Barba ensopada de sangue do Daniel Galera, que se passa em Garopaba, cidade que visitei uma vez (e só choveu).

15. Vida e destino - Vassili Grossman
Provavelmente não lerei. Desculpa, parece ser chato. Talvez eu leia o livro obrigatório do ano passado, As aventuras do bom soldado Svejk do Jaroslav Hašek.

Livros sorteados para 2017

O portal - Natsume Soseki
Vida encantada - Diana Wynne Jones
Stories - Neil Gaiman (org.)
O menino que desenhava monstros - Keith Donohue
É assim que você a perde - Junot Díaz
Coisa de louco - John O'Farrell

Por sorte, todos os livros são tranquilos de ler. Admito que estava com medo de sortear todos os calhamaços de uma vez. E deu para encaixar alguns no Desafio Livrada!, o que é sempre bom.

Mangás sorteados para 2017

Koe no Katachi - Yoshitoki Ooima
Onanie Master Kurosawa - Takuma Yokota (arte) e Katsura Ise (história)
Uzumaki - Junji Ito

Como não leio tanto mangá e não tenho muitos na minha lista de leitura, achei que sortear apenas três já está de bom tamanho. Todos os sorteados são mangás que eu queria ler faz tempo, então fiquei contente com o que a aleatoriedade me entregou.

Animes sorteados para 2017

NieA Under 7
Code Geass
Chouyaku Hyakuninisshu: Uta Koi
Paradise Kiss
Fushigi no Umi no Nadia
Hoozuki no Reitetsu

Enquanto minha lista de mangás para ler é bem enxuta, a lista de animes é uma bagunça. Não lembro por que adicionei a metade deles, tanto que quando fiz o sorteio não reconheci três dos seis sorteados, mas dando uma olhada por cima, eles parecem bem legais!

Esses são os meus plano para 2017 em questão de leituras e cia. Veremos o que vou conseguir cumprir!

terça-feira, 10 de janeiro de 2017

Retrospectiva 2016: desafios literários

Para fechar as retrospectivas de 2016, vou falar sobre os desafios literários de que participei. 2016 não foi um ano em que eu estava muito empenhada em completar qualquer um dos desafios. Se o tema me agradasse e/ou eu tivesse livros disponíveis que se encaixassem nele, ótimo. Se não, ótimo também. Assim, não completei nenhum dos desafios, mas cheguei bem perto de completar um deles. Meu post escrito no começo de 2016 com as ideias de leituras está aqui.

Desafio Skoob

Foi um ótimo desafio para desencalhar livros da estante. Dos treze livros lidos, a maioria eu já tinha em casa. O desafio me estimulou a finalmente ler alguns livros que eu estava evitando, como Hamlet e O menino que se trancou na geladeira.

Só deixei de ler o livro de abril, porque não gostei do tema e não consegui pensar em nenhuma leitura que me agradasse.

Minhas leituras foram as seguintes:

JANEIRO - Gênero Fantasia
O vitral encantado - Diana Wynne Jones

FEVEREIRO - Autor(a) Asiático(a)
Declínio de um homem - Osamu Dazai
Irmãos - Yu Hua
Terra e cinzas - Atiq Rahimi

MARÇO - Livro escrito por mulher
To the lighthouse - Virginia Woolf

ABRIL - Livro sobre Holocausto

MAIO - Autor(a) Africano(a)
O fio das missangas - Mia Couto

JUNHO - Livro com 3 palavras no título
Vernon God Little - DBC Pierre

JULHO - Livro com Serial Killer
Os crimes ABC - Agatha Christie

AGOSTO - Biografia
A drifiting life - Yoshihiro Tatsumi

SETEMBRO - Autor(a) Brasileiro(a)
O menino que se trancou na geladeira - Fernando Bonassi

OUTUBRO - Thriller Psicológico
Love - Stephen King

NOVEMBRO - Clássicos da Literatura Estrangeira
Hamlet - William Shakespeare

DEZEMBRO - Nome de Cidade, Região ou País no Título
Budapeste - Chico Buarque

Desafio Livrada!

Nesse desafio, fui encaixando os livros que lia nas categorias, sem me planejar muito. Resultado: não li nada em algumas categorias meio fáceis, mas tudo bem. No final, completei 11 das 15 categorias, o que não é ruim.

1- Um prêmio Nobel

2- Um livro russo
O beijo e outras histórias - Anton Tchekhov

3- Um cânone da literatura ocidental
To the lighthouse - Virginia Woolf

4- Uma novela
A exposição das rosas - István Örkény

5- Um livro que você não sabe por que tem 
História do dinheiro - Alan Pauls

6- Um autor do seu estado
O menino que se trancou na geladeira - Fernando Bonassi

7- Um livro publicado por uma editora independente
Quando o imperador era divino - Julie Otsuka

8- Uma ficção histórica
The Witch of Blackbird Pond - Elizabeth George Speare

9- Um livro maluco
Eeeee Eee Eeee - Tao Lin

10- Um livro que todo mundo já leu menos você

11- Um autor elogiado por um escritor de quem você gosta 
O vitral encantado - Diana Wynne Jones

12- Um livro bobo
Sendo Nikki - Meg Cabot

13- Um romance de formação
Irmãos - Yu Hua

14- Um livro esgotado

15- As aventuras do bom soldado Svejk

Desafio Volta ao mundo

Esse desafio não teve muita adesão. As pessoas começaram animadas, mas foram abandonando aos poucos. De qualquer maneira, ele me incentivou a ler um livro da Indonésia, que eu provavelmente não leria se não fosse por ele, e acabei gostando bastante da minha escolha. Li quase todos os livros "obrigatórios" e ignorei a maioria dos bônus. Infelizmente, fiz uma confusão e não li nada da Austrália porque achei que a China era o país de novembro e a Indonésia, de dezembro, hahaha.

Janeiro: Argentina
História do dinheiro - Alan Pauls

Fevereiro: México
Arrecife - Juan Villoro

[Bônus: Colômbia]

Março: Canadá
As aventuras de Pi - Yann Martel

[Bônus: Islândia]
A raposa sombria - Sjón

Abril: Irlanda
O mar - John Banville

Maio: Finlândia
Os Moomins e o chapéu do mago - Tove Jansson

[Bônus: Alemanha]

Junho: França
As Coisas - Georges Perec

Julho: Nigéria
O mundo se despedaça - Chinua Achebe

[Bônus: África do Sul]

Agosto: Irã

Setembro: Índia
O pintor de letreiros - R. K. Narayan

Outubro: Japão
O rosto de um outro - Kobo Abe

[Bônus: China]

Novembro: Indonésia
Beauty Is a Wound - Eka Kurniawan

Dezembro: Austrália

E esses foram os desafio de que participei em 2016. Ainda estou pensando sobre o que fazer em questão de leituras em 2017 e logo escrevo aqui.