segunda-feira, 5 de junho de 2017

Randomicidades do mês: maio/2017

Livros lidos


Tsugumi - Banana Yoshimoto
Tsugumi é uma menina de saúde fraca e personalidade forte. O livro é narrado por sua prima, que costumava viver com ela em uma cidade litorânea antes de se mudar para Tóquio e que volta para sua terra natal para as férias de verão. Tsugumi é uma pessoa bastante desagradável e complicada, mas gostei de ver como as primas se entendem. Faz bastante tempo que eu queria ler algo dessa autora, e apesar de o livro ter ficado um pouco aquém das expectativas, ainda assim foi uma boa leitura.
Nota: 3,25


O fim - Lemony Snicket
Último livro da série, que me deixa um pouco frustrada por não revelar tanto quanto gostaríamos sobre os mistérios que surgiram durante toda a história, mas que ao mesmo tempo é um fim bastante adequado para a série.
Nota: 4


Estação Onze - Emily St. John Mandel
Uma gripe poderosa e de rápido contágio se espalha pelo planeta, dizimando a maior parte da população humana. Anos depois, as pessoas tentam sobreviver com o que restou. Viajando pelos pequenos povoados e se arriscando por terras sem lei, uma trupe de músicos e atores tenta levar arte para alegrar um pouco a vida das pessoas. O livro alterna entre diferentes épocas e foca em diversos personagens, e no começo eu não entendi muito bem por que a ênfase em alguns deles, mas aos poucos as coisas vão se encaixando.
Nota: 4


Quem poderia ser a uma hora dessas? - Lemony Snicket
Depois de treze livros de Desventuras, é claro que eu fiquei com vontade de ler mais histórias que se passam no universo da série. Nesse livro, acompanhamos a formação do Lemony na organização secreta. Sua primeira missão é ajudar sua mentora a resgatar uma estatueta de um animal mitológico em uma cidade em decadência. Sinto um pouco de falta do jeito usual de narrar do autor e os personagens desse livro não são tão interessantes quanto os de Desventuras, mas ainda assim é uma leitura bem interessante.
Nota: 3,75


Quando você a viu pela última vez? - Lemony Snicket
Lemony e sua mentora têm uma nova missão, que dessa vez envolve o desaparecimento de uma jovem rica. Os testemunhos sobre seu sumiço divergem e despertam muitas suspeitas no jovem Lemony. Ajudado pelas crianças e parcialmente atrapalhado pelos adultos, ele tenta solucionar o mistério e lidar com os problemas que surgiram em sua vida desde o livro anterior.
Nota: 3,5


Liquidação - Imre Kertész
Um escritor se suicida e seu editor tenta compreender o que o levou a isso enquanto busca o último romance deixado pelo amigo. O escritor foi uma das poucas crianças nascidas em Auschwitz, e esse fato marcou toda a sua vida e obra. Esse é um romance bem denso e meio depressivo, confesso que não estava no humor certo para esse tipo de leitura e que não gostei muito.
Nota: 2,75


Héracles - Eurípides
A tragédia narra a situação da família de Héracles, ameaçada pelo rei Lico, enquanto o herói estava fora executando seus doze trabalhos. Héracles volta a tempo de salvá-los, mas logo em seguida deusas enviadas por Hera chegam e enlouquecem o herói. A história é bem interessante, mas minha falta de referências sobre esse mito e minha dificuldade com o vocabulário e a estrutura do texto tornaram a leitura bastante difícil. Por que o coro tem que falar de maneira tão pomposa???
Nota: 2,5


As pernas de Úrsula e outras possibilidades - Claudia Tajes
Peguei esse livro por engano na biblioteca (culpa do novo sistema e do meu desconhecimento dele), então não tinha expectativa nenhuma. No começo, nem pretendia lê-lo, mas decidi dar uma olhada nas primeiras páginas para ter uma ideia de como ele era. Depois de umas leituras mais sérias, esse livro pareceu tão simples e rápido de ler que acabei seguindo com a leitura, apesar de me incomodar com algumas coisas. A história é muito simples: o protagonista nos conta sobre seu relacionamento com sua esposa, que seria ótimo se ele não ficasse subitamente atraído por uma bela mulher com longas pernas. Não desgostei da leitura, apesar de o livro ter um tom engraçadinho que não tem tanta graça assim, o protagonista ser um homem babaca bem esteriotipado, e o livro ser bastante clichê e esquecível (mas se tornou inesquecível porque sempre lembrarei da vez em que as máquinas da biblioteca me fizeram de gato e sapato). Diferente do Héracles, cujo valor eu consigo ver, mas que achei uma chatice, aqui eu achei o livro meio ruim, mas meio legal.
Nota: 2,75

Quadrinhos


Suicide Club - Usamaru Furuya
Baseado no filme homônimo, o mangá é sobre misteriosos suicídios coletivos de garotas pelo Japão. É um mangá um tanto depressivo e um pouquinho perturbador, mas bastante interessante. Me deu vontade de ver o filme.
Nota: 3,5


Você é minha mãe?: um drama em quadrinhos - Alison Bechdel
Nessa continuação de Fun Home, a autora conta sobre o relacionamento complicado com sua mãe, a criação de suas obras e seu interesse pela psicanálise, principalmente pelas ideia de Donald Winnicot. Uma coisa que me desagrada um pouco nos quadrinhos da autora é que às vezes ela foca demais em um conteúdo "teórico" (como a psicanálise e as obras de Virginia Woolf), o que deixa a leitura meio maçante.
Nota: 3,5

Animes


Shouwa Genroku Rakugo Shinjuu: Sukeroku Futatabi-hen
Segunda temporada desse anime maravilhoso. Dessa vez, a série se detém sobre o Kikuhiko já estabelecido como mestre de rakugo e sobre a nova geração que busca manter a arte viva e em evolução. Eu tinha altas expectativas em relação a essa temporada porque a Konatsu aparece mais e ela é uma das minhas personagens preferidas, mas no geral gostei menos do que da primeira, talvez porque ela tenha me parecido menos coesa, sei lá. De qualquer forma, é um ótimo anime.
Nota: 4


Kuzu no Honkai
Anime sobre dois jovens que mantêm um namoro falso. Apaixonados por pessoas fora de seu alcance, eles tentam satisfazer seus desejos e aplacar a solidão um com o outro, mas descobrem que isso não dá lá muito certo. Achei interessante o anime mostrar relacionamentos não idealizados, com os adolescentes explorando sua sexualidade. A série apresenta vários personagens cheios de defeitos, alguns bastante desprezíveis, e durante boa parte da história achei que no final tudo daria errado, mas até que os personagens crescem um pouco e conseguem dar uma direção para suas vidas (só achei essa evolução rápida demais e não muito verossímil em alguns casos). O anime é muito viciante, tanto que assisti em pouco tempo.
Nota: 3,75

Filmes


Kimi no Na wa.
Depois de ler muito sobre o filme e sobre os recordes de bilheteria que ele bateu, finalmente assisti Kimi no Na wa, filme preferido de Shoma Uno. Não sou muito fã do diretor, Makoto Shinkai, porque às vezes ele vai para um lado sensível e poético que eu acho brega, mas como todo mundo disse que nesse filme temos um enredo mais bem definido, achei que talvez essa fosse minha chance de me deixar conquistar por um filme dele. A história é a de uma menina do campo e um menino da cidade que de repente passam a trocar de corpo. O filme é divertido e interessante, mas algumas coisas me incomodaram. Preferia que tivessem focado mais no relacionamento dos protagonistas antes do conflito surgir, porque achei o vínculo entre eles muito fraco. De resto, é um filme do Makoto Shinkai, então espere cenários deslumbrantes e céus maravilhosos. O relacionamento dos protagonistas, a distância entre eles, os monólogos dos personagens, também são algo bem Makoto Shinkai. Ou seja, gostei do filme, mas esperava um pouco mais depois de tudo o que ouvi.
Nota: 3,75


Hoshi no Koe
Falei mal do Shinkai, mas aqui estou eu assistindo a mais um filme dele (só assisti porque é curto, ok?). Esse foi o primeiro filme do diretor (acho) e é bastante impressionante porque ele fez o filme inteiro quase sozinho. Mas tirando isso, achei o filme meio chatinho. Como sempre, temos um casal como protagonista, dessa vez no futuro. A menina parte em uma missão espacial e continua a manter contato com o menino por mensagens de texto, mas à medida que ela se afasta mais da Terra, mais difícil é manter a comunicação. Os cenários são bonitos como sempre, mas o character design é bem feinho.
Nota: 2,75

Aquisições


Não comprei nada em maio, viva! O único livro novo foi História da menina perdida, que ganhei de aniversário da minha tia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário