sexta-feira, 22 de maio de 2015

O último amigo

Título: O último amigo
Autor: Tahar Ben Jelloun
Editora: Bertrand Brasil

Depois de fazer meu balanço de leitura do Desafio Volta ao Mundo em 80 Livros e ficar meio envergonhada com a grande quantidade de autores americanos que leio, fui correndo para a biblioteca pegar um livro de um país inédito. Uma das estantes que sempre fico paquerando é a dos livros africanos de língua francesa, de onde já saiu anteriormente o livro do Sembène Ousmane. A prateleira é meio pobrinha, mas para o meu projeto ela vem bem a calhar. Como ando muito preguiçosa, meu critério de escolha dessa vez foi "o livro mais curto que eu conseguir achar que parecer minimamente interessante" e o livro eleito foi O último amigo, do marroquino Tahar Ben Jelloun.

O livro conta sobre a amizade entre Ali e Mamed, que se iniciou na adolescência e se estendeu por quase trinta anos. Os dois homens têm personalidades muito diferentes; um é mais impulsivo e egoísta enquanto o outro é bonzinho e ingênuo. Apesar disso, a amizade deles é forte e suporta os mais diversos percalços, até se desfazer subitamente, sem um motivo claro.

O mais interessante do romance é que ele dá espaço para os dois amigos contarem a sua versão dos fatos, o que nos permite ver as motivações e percepções de cada um. Fiquei bastante surpresa com as diferenças nos relatos dos dois personagens, principalmente nas memórias mais antigas, que divergem bastante e me fizeram ficar voltando para o começo do livro para comparar as versões.

Escolhi esse livro sem dar muito por ele, mas ele acabou se revelando uma boa leitura. Curiosamente, o outro livro que peguei na biblioteca no mesmo dias, As brasas, tem um enredo muito semelhante (dois amigos muito próximos que se separam de repente e cujo motivo do rompimento não é totalmente claro). Foi interessante ler dois livros com tema semelhante em seguida, e devo dizer que O último amigo saiu ganhando na comparação.

6 comentários:

  1. Confesso que também leio muitos livros americanos, Lígia. Mas venho mudando isso aos poucos.
    Beijo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Só comecei a mudar isso com meu projeto de volta ao mundo. Se eu não controlasse um pouco as leituras, acho que os americanos seriam mais de 90% D:

      Excluir
  2. "O último amigo" eu não conhecia, mas só ouvi elogios para "As brasas".Os norte-americanos acabam sendo maioria, mas tento variar ao máximo. Acabo descobrindo muita coisa legal.
    bjo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também ouvi muitos elogios para As brasas, aí fui com altas expectativas ler e acabei não gostando tanto, infelizmente.

      Excluir
  3. Fico feliz em estar lendo muitos brasileiros contemporâneos atualmente, mas os estadunidenses tbm são maioria na minha estante. :-/
    Gostei desse estilo do livro que os dois amigos contam as mesmas histórias. Bacana comparar como vc fez.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também estou lendo mais brasileiros atualmente :)

      Excluir